Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Igreja

Casas de Paz, colheita sobrenatural!

A- A+


Para adquirir o NOVO manual e as chaves da Casa de Paz acesse o site www.selahproducoes.com.br.

Esta estratégia nasceu na verdade de um mergulho nos primeiros versículos de Lucas 10. Ali, Jesus chama setenta de seus discípulos, todos inexperientes na fé (poderíamos chamá-los de novos convertidos, com certeza) e os envia a diversas cidades e aldeias, de dois em dois, com uma missão: encontrar pessoas que estivessem abertas para receber a presença do Senhor em suas casas. Deveriam, então, entrar ali, conviver por algum tempo e preparar aquele ambiente para se tornar uma base de operação do reino de Deus.

O Senhor disse: “E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz...” (Lucas 10:6). Então, a tarefa dos setenta era encontrar os “filhos da paz” e estabelecer suas casas como “Casas de Paz”.

Se alguém pensa que isso aconteceu num só dia, está equivocado. Aquela missão durou algumas semanas, provavelmente. O propósito era encontrar casas onde Jesus pudesse ficar e ministrar, quando chegasse àquela cidade ou aldeia.

Os resultados da missão foram fantásticos. Todos os setenta retornaram “cheios de alegria”. É sempre assim, quando ousamos obedecer ao Senhor e enfrentar os nossos medos e as oposições malignas, temos experiências tremendas e nosso coração se enche do gozo incomparável de sermos instrumentos nas mãos de Deus.

 O DETALHAMENTO DA ESTRATÉGIA

Inspirados nesta passagem bíblica, concebemos uma estratégia muito simples e eficaz no sentido de ganhar vidas, consolidá-las e já estabelecer suas casas como base para a multiplicação celular.

Todo o processo começa com a preparação nas células. Durante um mês ou mais, todos os discípulos da igreja devem ser ministrados na palavra, organizados de dois em dois e desafiados a orar pelos alvos estabelecidos. Esse processo é gerenciado dentro da célula, pelo líder. Temos à venda uma cartilha (www.selahproducoes.com.br) com o detalhamento de toda a estratégia e quatro ministrações que devem ser compartilhadas, uma por semana, para encorajar e instruir todos os discípulos quanto à missão de saírem a estabelecer “Casas de Paz”.

Depois desse tempo de preparação e organização, fazemos uma grande reunião profética para enviá-los de dois em dois sob a autoridade e bênção de seus pastores. A partir de então, as duplas devem sair em busca de “filhos da paz”, ou seja, gente que esteja disposta abrir suas casas por oito semanas (uma reunião por semana) para verem estabelecida a paz de Deus naquele ambiente familiar.

O critério para formação das duplas é que sejam pessoas que tenham um compromisso assumido com Jesus e confirmado através do batismo. Eventualmente, mesmo alguém que não desceu às águas, mas passou por um encontro com Deus e está firme na fé pode ser enviado, a critério do líder.

Como se trata de um período de esforço evangelístico, mesmo pessoas que não fizeram e nem estão fazendo Escola de Líderes devem ser enviadas. Depois da campanha, se essas “Casas de Paz” se consolidarem como células definitivas, aí sim, aquele que vai permanecer à frente precisará entrar imediatamente na Escola de Crescimento, caso não o tenha feito, para ganhar uma estrutura melhor em sua vida pessoal e ministerial.

Há muitas formas de se encontrar os “filhos da paz”. O evangelismo pessoal é a principal delas. Cada dupla, durante o período de preparação, deve fazer uma lista de pessoas pelas quais estarão orando e depois irão abordar com a proposta de que abram suas casas por sete semanas, a princípio. Gente que está sofrendo é um alvo prioritário. Os sãos não precisam de médico. Os doentes, sim. Não foi isso o que disse Jesus?

Há sempre ao nosso redor pessoas necessitadas e outras que estão curiosas em relação ao mundo espiritual. São verdadeiros “filhos da paz”, mas como isso não está escrito em suas testas, só descobriremos se ousarmos anunciar o plano de Deus a eles.

Uma outra maneira de abrir “Casas de Paz” é fazer uma festa e convidar o maior número possível de pessoas não convertidas. Isso pode ser feito por uma dupla, uma célula ou até mesmo um grupo de células juntas, se quiserem fazer algo mais impactante e elaborado. Neste evento, num determinado momento um líder chamará a atenção de todos e ministrará uma palavra desafiando as pessoas a abrirem suas casas para Jesus. Na cartilha que está à venda no site da Selah Produções, há o esboço de uma ministração que preparamos para esta ocasião. Se ele for compartilhado com entusiasmo, confirmado com alguns testemunhos de pessoas que abriram sua casa para o Senhor e experimentaram milagres por isto, certamente haverá gente disposta a corresponder e abrir suas portas também.

Uma vez que alguém abriu a porta, é hora de começar o processo naquela casa. Na verdade, trata-se de uma campanha de sete semanas, mas o objetivo, não publicado a princípio, é estabelecer uma célula ali definitivamente.

Na parte final da cartilha à venda estão os esboços das sete ministrações que devem ser transmitidas durante a campanha, mais a de implantação, na primeira reunião numa nova “Casa de Paz”. Elas são simples, qualquer novo convertido pode compartilhá-las, mas estão revestidas de uma sabedoria celestial, abordando temas que em seqüência levarão os ouvintes ao arrependimento, à conversão e a um compromisso definitivo com Cristo.

A primeira reunião na “Casa de Paz” é fundamental. O tema que será ministrado é baseado na experiência de Cornélio, que antes de receber Pedro e o evangelho em sua casa, convidou seus amigos e familiares para serem abençoados também. Assim, o propósito desse primeiro dia é convencer aquele “filho da paz” que abriu a porta de seu lar a envolver seus parentes, amigos e vizinhos. Aliás, após compartilhar a palavra e ungir aquela casa como um ato profético de que agora ela é um território de Jesus, a dupla de “semeadores da paz” deve encorajar o anfitrião a sair com eles a fim de convidar para a semana seguinte os vizinhos mais próximos, especialmente aqueles que mantêm algum nível de relacionamento com o dono da casa. Esta pessoa também deve ser incentivada a, durante a semana, chamar outros do seu círculo de relacionamentos para a próxima ministração.

Procuramos trabalhar com alguns símbolos que possam motivar e também estabelecer didaticamente os princípios que são compartilhados nas reuniões da “casa de paz”. A partir da segunda reunião, provavelmente já com mais alguns convidados, damos a cada representante de família um chaveiro onde ele vai colocar a chave de sua casa, como um ato profético de que ela agora pertence a Cristo. A cada semana, damos a ele também a réplica de uma chave onde está escrito o tema e a referência bíblica que foram compartilhados, para que vá acrescentando ao seu chaveiro à medida que a campanha se desenvolve.

Outro grande objetivo da primeira reunião na “Casa de Paz” é convencer aquela família a acompanhar a dupla de ceifeiros a um dos cultos da igreja nos dias que se seguirem. Assim, aquelas “Casas de Paz” recebem a oração direta dos pastores, as pessoas que estão sendo alcançadas têm o seu primeiro contato com o ambiente ungido e estimulante da igreja e o próprio rebanho pode ter uma noção dos resultados do seu esforço de evangelismo, pois a cada semana muitas pessoas novas estarão nos cultos consagrando seus lares a Cristo.

Depois a reunião de implantação da “Casa de Paz”, nas próximas sete semanas um processo de evangelismo e consolidação se desenvolverá naquele lar através de uma reunião semanal. É muito importante que tudo seja regado com muita oração, que os ceifeiros se preparem para cada encontro estudando bem as ministrações, que transmitam a palavra com convicção e entusiasmo e que separem sempre um tempo para orarem pelas necessidades daqueles que estão aliançados na “Casa de Paz”, curando os enfermos e decretando os milagres que eles precisam.

A reunião na “Casa de Paz” deve ser intensa e objetiva como uma reunião de célula, durando não mais que uma hora.

O ideal é envolver toda a igreja nesta missão evangelística que durará entre dois e três meses, talvez um pouco mais. Durante este período, as células se dissolverão temporariamente, já que todos serão pulverizados de dois em dois a abrir “Casas de Paz”. Mesmo assim, cada líder deve manter contato com os discípulos que enviou, pastoreando-os e acompanhando seus resultados e dificuldades. Na verdade, a célula se reunirá a cada 15 dias para que o líder gerencie e oriente as duplas que enviou.

Durante o tempo desse esforço evangelístico, não nos preocuparemos com alguns princípios da visão como homogeneidade das células ou a necessidade dos que estão à frente terem feito ou estarem fazendo a Escola de Crescimento. Isso será retomado depois, quando a rede for puxada, a pesca estiver completa e os resultados puderem ser avaliados. Aí sim, poderemos ver quantas “Casas de Paz” permanecerão como células definitivas e quantas das pessoas que estarão à frente destas novas células ainda não passaram pelo treinamento de liderança. Para oficializá-las, então, elas terão que cumprir essa etapa. Também a preocupação com a homogeneidade (juntar jovens com jovens, homens com homens, etc...) fica para esta segunda etapa, quando os frutos estiverem consolidados e já suportarem uma reorganização da igreja, sem crises ou perdas.


Todo este processo durará cerca de três meses (um pouco mais ou um pouco menos, dependendo a velocidade de resposta da igreja). Alguns, por ousadia ou por terem a bênção de encontrar mais facilmente a oportunidade, se moverão com agilidade e começarão imediatamente. Outros precisarão de mais tempo para conquistarem o seu objetivo. Por isso, depois de dada a partida, aqueles que ainda não abriram sua “Casa de Paz” devem permanecer se reunindo no endereço da célula original, orando juntos até que alcancem um novo lar. Eventualmente essas pessoas podem acompanhar o líder, se ele abriu uma nova frente, até que elas mesmas comecem sua própria reunião.   

Ao final deste período, a partir do momento que as primeiras “Casas de Paz” estiverem fechando o ciclo das sete semanas, a igreja deve se preparar para consolidar a conquista. Encontros com Deus devem ser programados para os fins de semana que se seguem (as pessoas serão motivadas nas ministrações das “Casas de Paz” a inscrever-se).

Para adquirir o NOVO manual Casa de Paz e o chaveiro com as 7 chaves, acesse o site www.selahproducoes.com.br.

 

 

 

 

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa