Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Palavra Profética » Provando de novo a alegria dos milagres

Provando de novo a alegria dos milagres

A- A+

Nosso propósito é estar no próximo domingo em pelo menos mil e quinhentos novos lares para pregar ali, por sete semanas, o evangelho, manifestar os sinais do reino de Deus e provocar a trans­formação de milhares de vidas.

Os setenta e dois voltaram alegres e disseram: “Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome” – Lucas 10:17

Estamos a uma semana do “Dia D”, um momento muito especial na vida desta igreja. Nosso propósito é estar no próximo domingo em pelo menos mil e quinhentos novos lares para pregar ali, por sete semanas, o evangelho, manifestar os sinais do reino de Deus e provocar a trans­formação de milhares de vidas pelo poder do Espírito Santo.

A inspiração para este momento, você sabe, vem do capítulo 10 de Lucas, quando Jesus envia setenta de seus discípulos, de dois em dois, com praticamente a mesma missão que nós agora estamos tentando reproduzir.

Eu gostaria de tomar o exemplo daqueles setenta para criar alguma expectativa no seu coração acerca desse tempo. Em primeiro lugar, hou­ve um envolvimento radical de todos eles. A Bíblia nos diz que, após cumprida a missão, “Todos voltaram possuídos de alegria”. Ora, se todos voltaram é porque todos foram. Não houve quem se recusasse a obedecer o comando do líder naquela equipe. Setenta foram enviados, setenta saíram em busca dos filhos da paz e setenta voltaram contando os testemunhos. Não houve quem tenha ficado de fora.

Talvez você pense que eram obreiros experientes, que não viam na missão dificuldade alguma, mas essa percepção é equivocada. Na verdade, ali estavam setenta no­vos convertidos, sem nenhuma situação daquele tipo. Tanto que, quando vol­taram, estavam entusiasmados e surpresos com experiências bá­sicas que tiveram, como expulsar demônios pelo nome de Jesus.

É muito importante que você se envolva neste grande mover de salvação. Sua ausência ou desinteresse significará, não só um número a menos na nossa meta, mas uma casa a menos entre aquelas que terão a oportunidade da salvação. Quer entender de forma mais dramática? Sua recusa em envolver-se significará gente destinada à perdição eterna sendo impedida de ouvir a verdade que as pode salvar.

Aliás, aqui está aquela que deve ser a maior das nossas motivações: tirar pessoas do inferno. Quando os setenta voltaram tomados de alegria e contando seus feitos depois de terem cumprido a missão, Jesus lhes chamou a atenção com a seguinte afirmação: “Antes regozijai-vos porque os vossos nomes estão escritos no céu”. Em outras palavras, o que o Mestre está dizendo é que não há feito mais importante ou motivo maior de celebração do que a salvação de uma pessoa. Quando o nome de alguém é arrolado no Livro da Vida do Cordeiro por causa da nossa pregação e testemunho, fizemos por aquela vida o maior bem que lhe poderia ser feito.

Onde você estaria hoje se um servo de Deus não tivesse compartilhado a Palavra ou investido na sua conversão? Só essa reflexão já deveria ser suficiente para não nos negarmos a sair em busca dos filhos da paz. Portanto, se você ainda não se moveu, ou mesmo se tentou, mas não conseguiu abrir uma porta para Cristo, faça disso uma prioridade durante esses últimos dias, para que no próximo domingo você esteja numa casa de paz como canal da graça e do evangelho.

Além da disposição de ir, precisamos entender a posição de autoridade em que o Senhor nos envia. Não estamos indo em nosso próprio nome e tampouco em nome de uma religião. Estamos indo em nome de Jesus, enviados e respaldados por Ele. Isso não tem relação com nossas habilidades naturais ou capacidade humana. Os milagres que Deus vai fazer, os demônios que serão desalojados e a salvação de milhares de vidas não dependem de nossa experiência, cultura, eloquência ou qualquer outra virtude que tenhamos ou deixemos de ter. Dependem exclusivamente do poder de Deus, que já está empenhado por Ele. Da nossa parte, os únicos requisitos são a fé e a obediência.

Estou dizendo isso porque a nossa incumbência é sobrenatural. Não entraremos nas casas das pessoas apenas para fazer amizade com elas ou falar um pouco de Deus. Nossa incumbência é curar os enfermos, libertar os cativos e ser elementos de transformação de realidades às vezes insolúveis aos olhos humanos. E como faremos isso? Pelo poder do Espírito Santo.

É absolutamente necessário que você creia, ou seja, que crie a expectativa em seu coração de que será usado sobrenaturalmente pelo Senhor. Não se intimide com a dimensão dos desafios que estiverem à sua frente, Simplesmente ore com convicção e libere sobre as pessoas e circunstâncias a palavra de vitória. Estimule-as a crer em milagres com a sua postura! Não tenha medo de decepcioná-las. Seu papel é lançar a semente dos milagres. O papel de realizá-los é de Deus e, pode ter certeza, Ele está comprometido com isso. 

Há um princípio importante contido no fato de que Jesus enviou seus discípulos de dois em dois (e nós também o estamos fazendo): ninguém deve sentir-se só fazendo a obra de Deus! Ter alguém do lado, quando os desafios aparecem, é fundamental. Além disso, percebemos na narrativa de Lucas que os setenta voltaram a Jesus para prestar relatório (o termos “relataram” que está em algumas versões pode ser traduzido assim). Isso significa que um líder experiente estava acompanhando tudo e disponível para orientá-los e respaldá-los em qualquer dificuldade.

Assim será também com você. Sua experiência estará sendo monitorada e seus pastores e discipuladores estarão por perto para lhe orientar em qualquer situação que você não domine ainda. Portanto, tenha segurança e vá na convicção de ser canal para coisas maravilhosas.

No final, a cena de Lucas 10 se repetirá. Enquanto nós nos alegramos pelos milagres e salvação que vimos acontecer através de nossa instrumentalidade, Jesus estará se regozijando por ver mais uma vez “Satanás caindo do céu como um raio”, ou seja, o império das trevas perdendo lugar. Assim será se você crer e obedecer!

 

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa