Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Palavra Profética » E vós, que dizeis que eu sou?

E vós, que dizeis que eu sou?

A- A+

Quem é Jesus para você? Dessa resposta depende sua vida!

Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és oCristo, o Filho do Deus vivo. (Mateus 16:15-16)

Quem é Jesus para você? Dessa resposta depende a sua vida! O conceito que temos das pessoas determina a atitude que apresentamos diante delas. E a atitude que temos diante das pessoas determina as consequências daquela relação. 

Contam a história de um funcionário de banco que atendeu o telefone e, do outro lado, alguém lhe perguntava se podia fazer um favor. Ele, estressado e cheio de tarefas, disparou: “Olha aqui, meu amigo, eu tenho muito o que fazer, minha mesa está abarrotada de serviço e eu ganho muito pouco nessa famigerada instituição. Portanto, vá pedir favores para algum desocupado!” Do outro lado da linha, então, veio uma pergunta em tom furioso: “Você sabe com quem está falando?” O jovem bancário, com a mesma petulância, respondeu de bate-pronto: “Não sei e tenho raiva de quem sabe!” Para sua surpresa, a tréplica veio devastadora: “Eu sou o presidente do banco!”... Depois de cinco segundos de silêncio, o empregado perguntou: “E o senhor, sabe com quem está falando?!!” E ao ouvir um “não” como resposta, gritou aliviado: “Graças a Deus!” e desligou o telefone...
 
Realmente nos complicamos, quando não identificamos o outro corretamente! A pergunta de Jesus não era sem nexo: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Da revelação de sua identidade na vida dos discípulos dependia a edificação de uma igreja vencedora. Há muitos conceitos distorcidos ou parciais a respeito de Jesus. Para muitos, como Nicodemos, Jesus é um “bom mestre”, alguém enviado da parte de Deus para ensinar boas coisas. Nada mais que isso! Mas esse entendimento, tão parcial, não salva ninguém! A resposta Rabi àquele doutor da Lei foi: "Necessário te é nascer de novo!"

Para outros, como Pilatos, Jesus é somente um bom homem. Diante da pressão para que Ele fosse crucificado, o governador romano lavou as mãos. Não via motivos para condená-lo, mas também não via para comprometer-se com Ele. 

Outros, como a multidão da Galileia, tratam Jesus como um milagreiro, buscam-no apenas porque o veem multiplicar pães ou curar enfermos. A esses, o Senhor confronta com a proposta da aliança: "Quem não comer da minha carne e não beber do meu 
sangue, não tem a vida em si mesmo"!
Há ainda quem veja Jesus como uma lenda, um engano, um impostor. À semelhança de Saulo, chegam a persegui-lo, até o dia em que caiam do cavalo e tenham um encontro real com o Senhor, que mude completamente suas vidas.

“Mas, e vós, quem dizeis que eu sou???” Diante desta séria pergunta, Pedro dá um passo à frente e faz uma das declarações mais importantes da história: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!

Por que essa revelação é tão poderosa?
Ao dizer "tu és o Cristo", reconhecemos sua missão e o preço que ela custou. Cristo significa "Enviado", o Messias. Para um judeu como Simão, só haveria uma pessoa na história em quem caberia tal designação, o aguardado de todas as gerações... E Ele estava bem ali, diante de seus olhos.

Essa identidade fala da "viagem" que Jesus fez desde o céu até ao mundo dos homens para cumprir uma missão dada pelo Pai: salvar-nos e decretando para sempre a extensão do seu amor por nós.

Ao dizer "tu és o Filho de Deus", reconhecemos seu caráter único e divino. Jesus é o Unigênito, aquele que tem o DNA do Pai. Não simplesmente um homem especial ou um "espírito evoluído", mas o Deus que se fez homem... Mais do que isso, Ele é "o Filho do Deus vivo". Entendendo e confessando essa verdade, proclamamos seu poder e seu desejo de interação conosco. Não se trata de mais um deus da mitologia, nem de um deus da mera teologia/teoria, tampouco o deus da idolatria, criado pelos homens. Ele é exata expressão do Pai, o Deus vivo e eterno, alguém que tem vontade soberana e que se propõe a relacionar-se conosco. 

Diante da confissão de Pedro, da revelação que ele verbalizou, Jesus reagiu. Em sua resposta, fica exposto o que acontece na vida de um homem quando discerne quem Ele é e se submete a esta identidade.
Felizes são aqueles que recebem essa luz em seus corações! – “Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus!” (vs. 17) - Somente os privilegiados, alcançados pela graça, que têm entendimento desta verdade, podem viver a vida plena que o Messias veio trazer para nós. Este é o mistério (segredo) revelado apenas aos santos (conf. Cl 1:26-27)!

A igreja vencedora é edificada sobre esta verdade – “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (vs. 18) - Há uma igreja dos homens e uma igreja de Cristo. A dos homens é construída sobre dogmas, estruturas, política, programas... A de Cristo, sobre a revelação de sua pessoa! E a esta igreja, vencedora, as portas do inferno não resistem!

Os que enxergam Jesus como ele é recebem as chaves do reino (conf. vs. 19). Ah, como as chaves são importantes em nossa vida natural! Agora, imagine as chaves do reino dos céus, que destrancam não apenas a eternidade para nós, mas o desfrutar, agora, das riquezas celestiais! Uma autoridade sobrenatural é liberada sobre nós, a partir dessa revelação – “o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus” (vs. 19b).

Definitivamente, identificar bem o Senhor é uma das coisas mais importantes de nossa vida! Quem Ele é para você?!!

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa