Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Palavra Profética » Dando valor a quem tem valor

Dando valor a quem tem valor

A- A+

"Três dos valentes de Davi, ao perceberem o desejo do seu líder, não pensaram duas vezes. Com risco da própria vida, entraram pelo meio dos inimigos e trouxeram uma porção da água desejada"

“Então, aqueles três romperam pelo acampamento dos filisteus, e tiraram água do poço junto à porta de Belém, e tomaram-na, e a levaram a Davi; ele não a quis beber, mas a derramou como libação ao Senhor.” - I Crônicas 11:18

Quem lê esse texto sem uma compreensão clara das coisas pode julgar a atitude dos seus personagens como um exagero ou coisa pior. Num tempo de guerra, Davi suspirou por beber da água do poço de Belém, sua terra natal. O problema era que, naquele momento, a cidade estava tomada por uma guarnição dos filisteus.

Três dos valentes de Davi, ao perceberem o desejo do seu líder, não pensaram duas vezes. Com risco da própria vida, entraram pelo meio dos inimigos e trouxeram uma porção da água desejada. Davi, ao ver o que eles haviam feito por um mero suspiro seu, não quis beber. Preferiu derramar aquela água tão preciosa como oferta ao Senhor, sentindo-se indigno dela.

Vejo nobreza de todos os lados nessa história. Da parte de Davi, o cuidado de não abusar da boa vontade e amor que aqueles homens tinham para com ele. Percebendo o risco que eles correram para trazer-lhe aquele presente, sentiu-se indigno e preferiu oferecê-lo a Deus. Da parte dos três valentes, a nobreza também é impressionante. Seu desejo de honrar o líder era tamanho, que eles não mediram o preço.

É possível que alguém classifique os três guerreiros como exagerados, fanáticos, bajuladores ou até idólatras em relação a Davi. Entretanto, a atitude que eles tiveram era pautada em puro amor e gratidão.

Suas vidas tinham sido mudadas pelo ministério e investimento de Davi. Ele os encontrara um dia na caverna de Adulão. Eram homens sem perspectiva. A Bíblia os descreve naquele começo como “amargurados de espírito, problemáticos e endividados” (conf. I Samuel 22:2). Davi, porém, propôs-se a liderá-los e dar a eles uma causa nobre pela qual valesse viver e morrer. Isso fez com que suas histórias mudassem radicalmente e, agora, sua gratidão pelo homem que Deus havia provido para revolucionar suas vidas não encontrava neles limites.

A honra é um dos princípios mais importantes na Palavra de Deus. Reconhecer o que as pessoas que nos abençoam são na nossa vida e fazê-lo de forma prática é uma semente preciosa. Paulo nos instrui: “Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra” (Romanos 13:7). É interessante que ele coloca isso praticamente no rol de obrigações que temos, uma dívida a ser paga.

Quando falamos de pessoas usadas por Deus para nosso crescimento espiritual, especialmente nossos discipuladores e pastores, maior é a nossa “dívida”. O próprio apóstolo Paulo questionou a igreja de Corinto, à qual se dedicara tanto: “Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito recolhermos de vós bens materiais?” (I Coríntios 9:11). O escrito da carta aos Hebreus corrobora com esse princípio ao dizer: “Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus...” (Hebreus 13:7).

O que seria da sua vida, da sua família, do seu futuro sem o investimento do seu líder de célula, do seu consolidador, dos seus pastores, daquele que lhe conduziu a Cristo? Quanto isso vale no seu coração? Você já pensou que essas pessoas, tendo sua própria vida para cuidar, seu desafios e problemas, seu tempo apertado, resolveram investir em você simplesmente porque amam? Você é grato por elas? E de que forma você demonstra a gratidão?

Pessoas agradecidas fazem alguma coisa para revelar seu reconhecimento. Às vezes até exageram, mas sua oferta é agradável a Deus. Você se lembra da mulher pecadora que derramou seu unguento sobre Jesus e com lágrimas lavou-lhe os pés e enxugou-os com os cabelos. Quem via a cena, reprovava-a como uma fanática. O Senhor, porém, a defendeu e justificou a sua expressão de amor: “ aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama” (Lucas 7:47). No entender de Jesus, por ter sido tão beneficiada com o perdão, ela não tinha outra coisa a fazer senão exagerar na gratidão.

O dia dia 12/12, comemoramos o Dia do Discipulador. É apenas uma data para ajudar você a se lembrar de algumas das pessoas mais importantes de sua vida: aqueles que lhe abençoam com seu ministério e cuidado espiritual. Não precisa correr riscos como fizeram os valentes de Davi. Não precisa dar a eles aquilo de que só o Senhor é digno. Mas, de alguma forma, não deixe passar em branco a oportunidade de honrar e dizer “muito obrigado” a quem decidiu compartilhar sua vida e sua fé com você. Isso não tem preço!

 

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa