Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Falando do Coração » Um manancial em meio ao deserto

Um manancial em meio ao deserto

A- A+

A única maneira de sermos aprovados por Deus é passando bem pelas provas. O caminho para a aprovação é a provação! Só seremos vencedores à medida que formos às batalhas e prevalecermos.

“Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale de Baca, faz dele um manancial...” Salmos 84:5-6

Sempre digo que a primeira coisa que desejamos fazer quando entramos num deserto é sair dele. É óbvio que ninguém se sente confortável ou satisfeito quando a crise chega e a tribulação cresce. Porém, ultimamente tenho descoberto o lado maravilhoso das provas, o segredo de permanecer além delas e os passos para o milagre e a vitória.

A única maneira de sermos aprovados por Deus é passando bem pelas provas. O caminho para a aprovação é a provação! Só seremos vencedores à medida que formos às batalhas e prevalecermos.

O problema é que a maioria de nós não crê que é possível experimentar a paz e o consolo em meio aos desertos. Não conseguimos ver que junto com as lágrimas pode haver um gozo sobrenatural e um refrigério inexplicável; por isso resistimos tanto às provações e elas se tornam tão difíceis!

O Salmo 84:5-7 dá testemunho do homem que consegue fazer do seu vale árido um lugar de refrigério e descanso. Ele não está vivendo num “mar de rosas” e ainda assim é chamado de bem-aventurado. O “cenário” por onde ele está passando é um vale árido (vale de Baca) ou vale de choro que, graças a Deus, é apenas um lugar de passagem e não de morada. A sua bem aventurança obviamente não está nas circunstâncias externas, e sim, em posturas interiores que o capacitam a fazer do seu deserto um manancial.

Se aprendermos os segredos desse homem nossa vida pode mudar radicalmente, ainda que as circunstâncias não mudem tanto. Saberemos o que é alegria e paz incondicional que excede o entendimento e as adversidades (Jo 14: 27).

A primeira postura desse coração contente em meio às provas, é que ele confia totalmente em Deus, sua dependência está no Senhor (“cuja força está em ti”). Ele sabe que Deus é soberano e ainda que não aparente, tem sempre o melhor para nós. Está seguro que Ele nunca se atrasa mesmo que pareça demorado (Lc 18:7). Aqui está o primeiro segredo: É preciso confiar na soberania do Senhor e aguardar em silêncio o Seu livramento ainda que não entendamos o porquê das circunstâncias. Quem confia espera e não se desespera; descansa e não se cansa (Sl 62: 5 a 9 e Is 40: 31).

Há muitas pessoas que desistiram de esperar em Deus porque os problemas não melhoraram. Elas até oraram e jejuaram, mas foram reprovadas na prova da confiança e dependência. Já que Deus não as livrou, decidiram fazer de tudo para livrarem-se a si mesmas pelos seus próprios caminhos.

O rei Asa (rei de Judá) passou pelas duas experiências. Quando confiou no Senhor contra o exército etíope de um milhão de guerreiros, o Senhor lhe deu a vitória. Porém, quando o rei de Israel (Baasa) o ameaçou com um exército bem menor, ele buscou sair da crise por caminhos humanos, deixou a dependência do Senhor e procurou ajuda no rei da Síria. Foi severamente repreendido por Deus e teve que pagar sua falta de confiança com outras tantas guerras (confira em II Cr 16: 7 a 9).

O segundo segredo desse bem-aventurado é que seus caminhos são retos, seu coração é comprometido com os princípios e a santidade de Deus (“em cujo coração se encontram os caminhos aplanados”). Isso o leva a descansar nas promessas. Quem anda segundo a Palavra do Senhor pode ficar tranquilo porque mais cedo ou mais tarde as bênçãos hão de alcançá-lo; pode confiar no respaldo do Senhor nas horas mais difíceis, porque em sua vida não há brechas ou pecados que impeçam Deus de ouvir e responder.

A terceira postura que gostaria de mencionar é que esse homem reconhece que, muitas vezes, a vitória leva tempo e pode ser um processo que exige perseverança e uma vida de intimidade com o Senhor (“vão indo de força em força, cada um deles aparece diante de Deus em Sião”).

Para permanecermos até o fim da prova sem perdemos a paz e a alegria no espírito, somente estando constantemente na presença de Deus. Há tanta gente que ao passar pela prova se deprime, e quando perguntamos como é seu tempo de qualidade com Deus descobrimos o porquê de tamanha tristeza. Para irmos de força em força nas tribulações precisamos comparecer sempre diante do Senhor, Ele é uma fonte segura de descanso e contentamento.

Sei que quando enfrentamos lutas nossa alma pode até se abater por momentos, mas para o bem-aventurado do vale árido, haverá uma alegria perene no espírito, uma paz no coração e gratidão nos lábios. O texto diz que O Senhor enviará suas bênçãos com a primeira chuva (“de bênçãos o cobre a primeira chuva”) e transformará a aridez num verdadeiro vale de beraca, ou vale da bênção (II Cr 20: 26).

Vale a pena andar nesses princípios! Já que não temos como passar por essa vida sem as provas, é muito melhor termos recursos para estarmos bem e contentes apesar delas, do que viver em tristeza e agonia nelas. Seja um bem aventurado no vale árido! Seja feliz sempre!

 

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa