Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Doze Cestos Cheios » Sim, há misericórdia para você!

Sim, há misericórdia para você!

A- A+

É tempo de nos entregarmos ao agir transformador do Senhor Jesus. Precisamos voltar a crer. Neste tempo em que estamos entrando nas casas levando a Paz, devemos ser os profetas da transformação.

E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? João 5:5-6 

Os feitos de Jesus narrados nos Evangelhos são entendidos por mim como descrições literais de fatos que ocorreram durante o tempo em que o Mestre andou por esta terra. Além desse conteúdo literal, costumo buscar o sentido profético dessas narrativas. Explico-me: creio que as pessoas envolvidas nas narrativas dos milatres de Jesus foram profundamente beneficiadas pela ação generosa do Senhor, mas creio que nós podemos, igualmente, ser beneficiados tanto por Seu poder, como pela mensagem que tem a capacidade de nos tocar e transformar.

Estando em Jerusalém, Jesus dirigiu-se a um local chamado Betesda, onde havia um tanque que, de tempos em tempos, tinha suas águas agitadas por um anjo. Ao mover das águas, o primeiro que entrasse no tanque seria sarado de sua enfermidade. Aquele lugar era um tipo de “hospital público”, em um tempo em que os recursos da medicina eram muito escassos. Diz o início do capítulo 5 do Evangelho de João que ali havia grande multidão de “pessoas doentes e inválidas: cegos, mancos e paralíticos” (v. 3).

Como afirmei, vejo aqui um conteúdo profético. Aquela realidade aponta para o estado das pessoas sem Deus. Não têm a capacidade de ver, encontrando-se perdidas e sem saber para onde ir. Também são mancas, conduzindo suas vidas com dificuldade, lutando para seguir em meio às suas deficiências. Finalmente, há também aqueles que foram totalmente paralisados e que passaram a depender totalmente do auxílio insuficiente de outras pessoas. Nesta última situação, a mais difícil, era que se encontrava o homem desta narrativa. Assim, aquilo que ocorreu com ele na sequência da história é o que pode acontecer com qualquer ser humano em necessidade de salvação.

Aquele homem estava há 38 anos aguardando o momento em que poderia, por seu esforço pessoal, ou pela ajuda de outras pessoas, alcançar a cura que tanto desejava. Da mesma forma as pessoas estão sempre tentando superar alguma limitação por meio do esforço pessoal. Na verdade, há muitos aspectos de nossas vidas em que devemos colocar nosso empenho. Devemos nos esforçar por sermos profissionais melhores; pais, mães, filhos melhores; ter um testemunho melhor, etc. Mas não é sobre isso que o texto fala profeticamente. Aqui está retratada uma impossibilidade. Ele estava em um lugar chamado “Casa de Misericórdia” (esse é o sentido literal de “Betesda”), mas estranhamente ninguém demonstrava misericórdia para com ele. Os que ali estavam queriam a solução para a sua enfermidade, sem se preocupar com os demais. Alguma semelhança com a realidade do mundo hoje?

Ao que parece, o homem havia perdido a esperança. Provavelmente alguém lhe colocava ali e o deixava. Sua expectativa era a de que alguém, quem sabe um dia, pudesse se compadecer dele e colocá-lo na água para ser curado. Então, algo acontece. Jesus se aproxima dele. É curioso observar que Jesus poderia ter se dirigido a qualquer outra pessoa ali. Entretanto, dirigiu-se a este, que era o mais necessitado. Os demais, de alguma forma, tinham esperança de se adiantarem aos outros e entrar primeiro na água. É no âmbito das impossibilidade humanas que o Senhor costuma se manifestar com mais frequência. Normalmente, enquanto achamos que temos recursos, que podemos continuar conduzindo nossas vidas, não buscamos Deus. Quando nos vemos em uma situação de absoluta necessidade (em qualquer esfera), estamos em uma posição privilegiada para ter um encontro com Deus.

Jesus lhe pergunta se ele quer ser curado. Qual seria a resposta mais evidente? Um sonoro “sim”! Mas o homem começa a dar explicações sobre o porquê de não ter ainda sido liberto do seu mal. A natureza humana gosta de dar explicações. O Mestre não queria saber por que ele estava ali; não perguntou qual era a enfermidade, nem por que ninguém havia tido compaixão dele. Porém, os anos de sofrimento fizeram-no perder de vista a possibilidade de uma realidade diferente. Frequentemente o sofrimento prolongado tem esse poder de roubar-nos a expectativa por algo melhor. Nossa defesa é procurar argumentos para explicar nossa situação.

Felizmente, Jesus tem todo o poder! Ao ler essa passagem, sempre imagino algo curioso. Jesus havia sido treinado como carpinteiro. Será que ele não poderia ter feito muletas para aquele paralítico? Certamente o homem ganharia mais mobilidade, e uma solução parcial lhe seria oferecida. Mas quando Ele age, as circunstâncias limitadoras são vencidas por completo. Ocorre que tantas vezes fomos frustrados, que nos contentamos com uma pequena mudança.

É tempo de nos entregarmos ao agir transformador do Senhor Jesus. Precisamos voltar a crer. Neste tempo em que estamos entrando nas casas levando a Paz, devemos ser os profetas da transformação, os portadores dos milagres, os proclamadores da salvação. É necessário que nosso testemunho seja respaldado por aquilo que cremos, o que possibilitará àqueles que nos recebem crer que o Senhor tem todo o poder para mudar suas vidas e suas casas. Somos aqueles que dirão: “toma o teu leito, e anda”!

Por autor

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa