Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Doze Cestos Cheios » Servos à cavalo ou príncipes à pé?

Servos à cavalo ou príncipes à pé?

A- A+

Por que não conhecemos, hoje, homens dos quais o mundo não seja digno? Talvez estejamos procurando no lugar errado. Foi isso que Deus me fez entender e quero compartilhar com você.

“Vi servos a cavalo e príncipes andando a pé como servos sobre a terra.”   Eclesiastes 10:7

Há alguns anos fiquei incomodado com uma pergunta da minha alma: por que não conhecemos, hoje, homens dos quais o mundo não seja digno? Imediatamente ouvi a voz do Senhor, em meu coração dizendo: você não tem procurado nos lugares corretos. A voz do Senhor me levou a uma reflexão e conclusão: talvez esteja procurando nos lugares de destaque. A voz insistiu e me disse: olha do seu lado. Olhei e vi um irmão que via todas as reuniões; entretanto, nunca havia olhado da maneira como naquele dia. Logo, o Senhor falou: esse é um dos homens dos quais o mundo não é digno. A única recordação que tenho depois dessas palavras foi a de que chorei muito, muito mesmo. À partir daí fui levado a uma reflexão mais profunda sobre o texto supra citado. Salomão ficou impressionado ao perceber "servos" andando à cavalo, enquanto havia "príncipes" andando à pé. Logo, me lembrei de dois personagens bíblicos que se encaixam, perfeitamente, na citação de Salomão: Hamã e Mordecai. A história desses dois personagens pode ser estudada através do livro de Ester. A etimologia dos nomes já nos remete a conclusões, pois Hamã significa magnífico; enquanto Mordecai significa homem pequeno.

O Senhor Jesus em Mateus 23:12 nos ensinou sobre a motivação que deveria nortear a nossa vida: quem quiser ser exaltado, será humilhado e quem se humilhar será exaltado. Hamã fez de tudo para andar no cavalo do rei e foi humilhado; enquanto Mordecai não fazia questão de andar à cavalo, no entanto foi exaltado e terminou marchando pelas ruas do reino montado no cavalo do rei, vestindo as vestes reais debaixo das palavras do rei: assim se faz ao homem a quem o rei quer honrar. Isso nos faz pensar que o maior problema não é onde estamos: à cavalo ou a pé, mas com que coração estamos. Penso que o coração desses dois homens nos revelam ensinos profundos sobre como se tornar um príncipe de Deus em nossa geração. Vejamos algumas dessas lições:

Um servo que anda à cavalo vive buscando reconhecimento e honra. Todos nós, sabemos, que um servo deve ser conhecido pelo seu trabalho e sua fidelidade. O nosso chamado envolve muito trabalho e acima de tudo fidelidade; entretanto, o problema começa quando o nosso trabalho e a nossa fidelidade tem como propósito o reconhecimento e a honra. Fazemos porque queremos aplausos e reconhecimento humano do nosso trabalho. Esse é o primeiro sintoma de um servo querendo andar à cavalo.

O segundo sintoma de um servo que quer andar à cavalo é que ele é uma pessoa completamente "almática", ou seja, deixa que suas emoções determinem o seu comportamento. Quando Hamã vê que Mordecai não se prostra diante de sua pessoa, ele se ira e determina em seu coração destruir o povo de Mordecai. Julgamos tal atitude, mas será que não temos deixado nossa alma e nossos sentimentos determinarem o nosso comportamento através de: ciúmes, inveja, orgulho, desprezo, etc?

Um outro sentimento que revela o coração de um servo querendo andar à cavalo é que ele pensa de si mesmo além do que convêm e ele não aceita o sucesso do outro. Quando Hamã é procurado pelo rei para saber o que deveria ser feito ao homem a quem o rei queria honrar, Hamã pensa que esse homem só poderia ser ele. Diante do que pensava, ele capricha na honra. Qual não é a sua surpresa quando o rei revela que esse homem era Mordecai, pois deveria ser honrado pelo livramento da morte do rei. Hamã não suporta ver outros serem honrados. A bíblia diz que a soberba precede a ruína e, Hamã não sabe lidar com seus sentimentos e começa a trilhar o caminho da destruição. O que pensamos acerca de nós mesmos? Como lidamos com o sucesso, prosperidade e evidência do nosso próximo?

Em contrapartida, as atitudes de Mordecai revelam o coração de um verdadeiro príncipe que anda à pé. Príncipes têm linhagem espiritual. Quando a bíblia revela que Mordecai era judeu, benjamita, filho de Jair, filho de Simei, filho de Quis é para revelar que um príncipe reconhece a sua linhagem, a sua natureza e a sua condição. Verdadeiros príncipes reconhecem que o seu socorro vem do Senhor, por isso quando Mordecai recebe a notícia que seu povo seria dizimado, ele rasga suas vestes, cobre a cabeça com cinza e jejua para encontrar o favor do Senhor. Assim agem os príncipes.

Príncipes denunciam o pecado. Talvez, Mordecai tivesse todas as razões do mundo para querer a morte de Assuero; entretanto diante da conspiração contra o rei, ele traz luz sobre a trama e assim livra o rei da morte. O novo testamento revela a conivência de duas pessoas: Ananias e Safira, ao pecado e tal atitude trouxe morte a ambos. Não podemos, hoje, ser coniventes com o pecado no meio do povo de Deus. Precisamos denunciar. Precisamos trazer luz, pois assim agem os verdadeiros príncipes. Finalmente, quando Ester fica sabendo da condição de Mordecai, manda-lhe roupas e faz de tudo para tirá-lo daquela condição de humilhação. Mordecai resiste e sugere que Ester assuma a mesma condição e busque a Deus. Verdadeiros príncipes têm firmeza de suas convicções e não abrem mão delas. Príncipes não se vendem. Precisamos assumir a mesma postura diante das mais variadas formas de propostas e pecados que nos são apresentadas, todos os dias. Precisamos resistir ao pecado e viver uma vida santa e justa, influenciando a nossa geração. O final da história de Mordecai é com ele subindo no cavalo do rei, vestindo as roupas reais e sendo levado pelas ruas da cidade sob o decreto do rei: assim se faz ao homem a quem o rei quer honrar. Lembre-se que um verdadeiro príncipe não se revela pelo fato dele estar andando à cavalo ou a pé, mas com que coração, ele o faz.

Como é o seu coração? De um servo que anda à cavalo ou de um príncipe que anda à pé?

 

Por autor

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa