Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Doze Cestos Cheios » Invista nos celeiros

Invista nos celeiros

A- A+

Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. - Mateus 28:20

E ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. Assim será o mantimento para provimento da terra, para os sete anos de fome, que haverá na terra do Egito; para que a terra não pereça de fome. - Gênesis 41:35,36

Não é de hoje a seguinte expressão: “um homem prevenido vale por dois”. No mundo em que vivemos, o desperdício faz parte do dia-a-dia; vivemos o hoje desconsiderando o amanhã. Acredita-se que aproximadamente 20% de toda a produção nacional de alimentos são desperdiçados diariamente. Vemos constantemente campanhas, manifestações, tentando nos conscientizar sobre a necessidade de investir na economia de água, mas vivemos esbanjando como quem desconhece suas conseqüências futuras para o ecossistema. Seguimos alheios por causa de uma visão imediatista e incrédula.

Tanto através de José como de Jesus, vemos Deus dar orientações muito semelhantes. Paulo, dirigindo-se a Timóteo disse: “Guarda o depósito que te foi confiado” (I Tm 6:20).

Estou certo de que na vida de cada crente há preciosidades confiadas por Deus. Somos este depósito que guarda dons, talentos, habilidades, ministérios, a própria salvação. Tudo isso é tremendo, mas o meu enfoque nesta reflexão é outro.

O que estamos vivendo nestes dias como igreja local tem tudo haver com o contexto dos textos citados acima. Não há como guardar a colheita para a preservação das futuras gerações, sem usar de estratégias.

A “aliança de milagres” representa o meio pelo qual Deus nos dá a oportunidade de ver nossas futuras gerações preservadas. A estratégia não é um fim em si mesma, mas um meio. Outras estratégias surgirão, e o que estamos usando hoje pode ser descartado amanhã. As grandes lavouras e os faraônicos celeiros nos quais José depositou as sementes foram consumidos pelo tempo, mas a nação de Israel prosperou e foi preservada.

Assim como este planeta esta ameaçado pela nossa negligencia e miopia, o reino de Deus pode sofrer prejuízos pela nossa falta de visão e atitude. Nós somos os celeiros e as sementes são as vidas confiadas à nós. Tanto um como o outro são importantes. O problema é que os nossos olhos estão voltados mais para os celeiros do que para as sementes. Semanalmente estamos sendo alimentados e usufruindo das bênçãos que Deus tem derramado. Não vejo problema nisto, desde que façamos com que estas bênçãos em nós tenham um fim proveitoso. Jesus em suas palavras disse que a presença dele respaldaria este processo até a consumação dos séculos. Não podemos esquecer que os celeiros existem por causa das sementes e não o contrario.

Eu não poderia deixar de ressaltar isso: o processo de consolidação é parte fundamental no nosso ministério. Se o fizermos bem, a semente terá qualidade e o sucesso da colheita é garantido. Cuide bem daqueles que o Senhor confiou a você. Hoje são apenas algumas sementes, mas amanhã será uma multidão incontável.

Vamos tomar a sabedoria das palavras de Jesus e da estratégia de José no Egito, para não perdemos o que o Senhor está nos dando. Lembre-se que construir celeiros cabe ao homem. A Deus cabe dar as sementes. Faça a sua parte, pois a do Senhor Ele tem sido fiel para cumprir: "Ora, aquele que dá a semente ao que semeia também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça;" (II Coríntios 9: 10).

Por autor

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa