Carregando TV, aguarde...
Fechar
Você está em: Edificação » Doze Cestos Cheios » Alcançando um coração sábio

Alcançando um coração sábio

A- A+

Compreender o momento e identificar a forma para o acontecimento dos fatos não são tarefas fáceis. No livro de Eclesiastes, capítulo 8, verso 5, Salomão ensina que “o coração do sábio discernirá o tempo e o modo”.

“O Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” - Provérbios 2:6

Sempre haverá tempo e modo para que as coisas aconteçam na nossa vida. Para cada situação haverá uma maneira e um momento certo para que ocorram. No entanto, nem sempre o tempo ou a forma como acontecem correspondem com a expectativa do nosso coração. Normalmente, queremos que as coisas aconteçam no nosso tempo e do nosso jeito.

O fato é que compreender o momento e identificar a forma para o acontecimento dos fatos não são tarefas fáceis. No livro de Eclesiastes, capítulo 8, verso 5, Salomão ensina que “o coração do sábio discernirá o tempo e o modo”. A capacidade de discernir o momento em que as coisas devem acontecer e a maneira como devem se apresentar é resultado de um coração sábio. Compreender o tempo e o modo é prerrogativa dos sábios.

É comum encontrar pessoas que passaram por situações em que agiram de forma inadequada ou em tempo inoportuno. Em alguns casos – e não poucos – as consequências desastrosas dessas ações permanecem até os dias de hoje, causando desconforto, tristeza e, até mesmo tormento a muita gente.

Há pelo menos dois fatores que nos levam a situações dessa natureza. Quando somos impulsionados pela ansiedade, que atropela a nossa paciência (conf. Mt 6:27) e quando somos cegados pela precipitação, que nos move apressadamente e de forma irracional (conf. Pv 21:5). Qualquer um desses fatores nos força agir no nosso próprio entendimento, não permitindo que atentemos para o fato de que aquele momento ou a forma de agir podem não ser adequados para aquela situação específica.

Salomão ainda diz: “o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” (Pv 2:6). Desse pensamento, extraímos a ideia de que tanto o conhecimento como o entendimento procede da boca de Deus, a saber, da Sua Palavra. Esse texto aborda três aspectos, o conhecimento, que é adquirido pela informação e pela experiência; o entendimento, que é a compreensão das coisas; e a Sabedoria, que é a totalidade de conhecimento e entendimento adquiridos.

Salomão ficou conhecido como um homem sábio porque um dia, ao invés de pedir um reino, muito dinheiro ou sucesso, pediu sabedoria a Deus e, durante grande parte de sua vida, desfrutou do resultado de sua escolha (conf.  II Cr 1:11  e  II  Reis 3:11).

Se quisermos sabedoria, temos que, primeiramente, pedi-la a Deus com fé, pois, é isso que a Sua Palavra recomenda. “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento” (Tg 1:5-6).

O Senhor quer nos dar sabedoria; quanto a nós, cabe buscá-la. Quando aplicamos a nossa vida em buscar conhecimento, através da informação e da experiência, pela leitura da palavra e manifestação da nossa fé, e entendimento, que adquirimos pela intimidade com o Espírito Santo, alcançamos a sabedoria que vem de Deus.

Em todo lugar temos que ser sábios. Tanto na nossa casa como fora dela, agir com sabedoria é algo que tem se mostrado cada vez mais necessário. Precisamos estar atentos ao que acontece no interior do nosso lar, nos portando com discernimento. Não podemos levar as coisas de qualquer jeito, nem permitir que situações negativas se agravem sem uma solução. Em Pv 24:3-4 vemos que “com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece”.

Fora de casa não é diferente. Essa atenção também deve existir. Não podemos ficar alheios ao que está acontecendo à nossa volta, nem ser coniventes com os conceitos e princípios ditados pelo mundo que têm afrontado a família e a igreja. O apóstolo Paulo recomenda: “andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade. A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um” (Cl 4:5-6).

É preciso manter vigilância constante e estar preparado para responder às questões que surgirem com o objetivo de afrontar os conceitos éticos e cristãos. Deus precisa de um povo sábio para fazer valer a Sua vontade. Em Deuteronômio 4:6, Ele diz: “guardai-os e observai-os, porque isso é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista dos povos que ouvirão todos estes estatutos e dirão: esta grande nação é deveras povo sábio e entendido”.

Assim, podemos concluir que a sabedoria que vem de Deus consiste em guardar e aplicar os preceitos e estatutos que Ele estabeleceu. Agora, saiba que para que isso ocorra será necessário conhecê-los, entendê-los, saber usá-los e não perder as oportunidades que surgirem.

 

Por autor

Edifique-se

Comunidade Cristã de Ribeirão Preto - Rua Japurá, 829 - Ipiranga
Ribeirão Preto SP - CEP 14055-100 - Fone: +55 16 3633-5957
comcrist@comcrist.org
Desenvolvido por Atual Interativa